O Jogo da Imitação: a história de Alan Turing, o gênio à frente do seu tempo


O Jogo da Imitação: dirigido por Morten Tyldum

UMA HISTÓRIA BASEADA EM FATOS FICA MAIS REAL SE CONTADA COM IMAGINAÇÃO

Alan Turing foi um dos gênios que trouxeram a humanidade para a era digital. O Jogo da Imitação, filme de 2014 dirigido pelo norueguês Morten Tyldum, mostra como suas ideias ajudaram a derrotar os nazistas. Mas não espere rigor histórico nem biografia precisa. O filme é uma ótima dramatização cinematográfica, dirigida com talento e estrelada por um Benedict Cumberbatch inspirado.
        No filme, Alan Turing é convocado pelo governo britânico para integrar uma força-tarefa dedicada a decifrar o código nazista, que era utilizada nas máquinas Enigma – calculadoras rudimentares, mas eficientes na troca das mensagens ultrassecretas que movimentavam a gigantesca máquina de guerra dos alemães. Turing, um gênio arrogante de difícil trato, enfrenta pressões políticas, rejeição da equipe, espiões sorrateiros e tem a sua vida sexual devassada.
        O Jogo da Imitação é um melodrama bem construído, cujo roteiro foi escrito por Graham Moore, baseado na biografia de Alan Turing: The Enigma, assinada por Andrew Hodges. O trabalho de Moore, que lhe rendeu o Óscar de melhor roteiro adaptado, adicionou doses generosas suspense muita imaginação, além de oportunidades de dramatização com forte sotaque de ficção.
        O próprio título do filme é uma referência aos estudos de Turing que, especulando sobre as possibilidades da inteligência artificial, criou na década de 50 um teste, o tal jogo da imitação. Seria usado para reconhecer e estabelecer as diferenças entre a inteligência humana e aquela manifestada por uma máquina tentando imitá-la. Turing, que também foi um dos responsáveis pela primeira transmissão de telefone digital da história, feita em 1948, era um sujeito muito à frente do seu tempo.
        Mas o que contam os biógrafos é que Alan Turing não era tão antissocial. Era bem-relacionado no ambiente acadêmico e soube se integrar à imensa equipe que ajudou a decifrar o código nazista. Mas em O Jogo da Imitação, o personagem pelo qual torcemos é produto da criação precisa que envolveu o ator, o diretor e o roteirista. É cinema em sua plenitude, que combina direção de arte, figurinos e ótima fotografia, numa produção impecável.


Fabio Belik é autor do livro Ventania

Um romance com sotaque de cinema. Em 278 páginas narra a história de Daniel, um garoto de 9 anos que em 1969 se vê às voltas com o abandono, vivendo momentos de amadurecimento e superação. À venda no Clube de Autores.



Filme: O Jogo da Imitação


Data de produção: 2014
Direção: Morten Tyldum
Roteiro: Andrew Hodges e Graham Moore
Elenco: Benedict Cumberbatch e Keira Knightley

Comentários

Leia também:

Junte-se aos seguidores da Crônica de Cinema