Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Mistério

The Sinner: série policial de suspense psicológico

Imagem
The Sinner: série desenvolvida por Derek Simonds UM PERSONAGEM E SUA JORNADA Quando a safra de bons filmes disponíveis nos serviços de streaming começa a se esgotar, lembro do óbvio: há uma grande quantidade de séries feitas para a TV, só esperando para serem descobertas. O problema é saber escolher. Odeio quando percebo, lá pelo segundo ou terceiro episódio, que o enredo é raso, que os personagens são estereotipados e que não haverá uma perspectiva clara para a... Crônica exclusiva para apoiadores. Para continuar lendo, torne-se um apoiador.   APOIE QUEM GERA CONTEÚDO DE QUALIDAE Com apenas R$8,00 você participa da minha campanha na  Apoia.se  e me ajuda a continuar escrevendo novas crônicas. Clique aqui!

Entre Facas e Segredos: surpresa no final e ação o tempo todo

Imagem
Entre Facas e Segredos: direção de Rian Johnson UM ÓTIMO ROTEIRO, QUE EVITOU AS ARMADILHAS DO GÊNERO Os romances policiais de mistério se tornaram uma febre por décadas, desde que Sir Arthur Conan Doyle emplacou seu Sherlock Holmes. Com o tempo, eles derivaram numa variedade de ficção muito específica, onde o autor propõe um quebra-cabeça para estimular o raciocínio do leitor, enquanto o confunde com pistas falsas. Tentar descobrir a identidade do assassino, antes que ela seja revelada nas últimas páginas, tornou-se verdadeiro passatempo para os admiradores desse tipo de romance. Os anglo-saxões chegaram a criar um termo específico para se referir a esse gênero literário: o “whodunnit”, uma corruptela da expressão "Who has done it?" – numa tradução livre, algo como... Quem fez isso?           Como em todo gênero, os autores estabelecem convenções e se apegam a padrões narrativos que, se estiverem ausentes, provocam sérios desapontamentos nos leitores. Um whodunnit que se prez

Tempo: um mistério enrolado em questões éticas

Imagem
Tempo: filme de M. Night Shyamalan ENVELHECENDO SEM O BÔNUS DA EXPERIÊNCIA DE VIDA O que é o tempo? A tirada espirituosa de Santo Agostinho, no seu livro autobiográfico As confissões, já virou resposta clássica: “Se ninguém me pergunta, eu o sei, mas se me perguntam, e quero explicar, não sei mais nada.” A frase se popularizou, porque a maioria de nós não quer se perder com divagações. Sempre de olho no relógio, estamos mais preocupados com os compromissos a... Crônica exclusiva para apoiadores. Para continuar lendo, torne-se um apoiador.   APOIE QUEM GERA CONTEÚDO DE QUALIDAE Com apenas R$8,00 você participa da minha campanha na  Apoia.se  e me ajuda a continuar escrevendo novas crônicas. Clique aqui!