Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Animação

Mussum, Keanu Reeves e os Beatles: uma combinação inusitada

Imagem
Submarino Amarelo: filme dirigido por George Dunning SARGENT PEPPER E SUA BANDA ACABAM COM QUALQUER PANDEMIA DE TRISTEZA Alguém aí anotou a placa do ano que furou o sinal, atropelou nossos planos e passou por cima das nossas rotinas? Como diria o Mussum, Keanu Reeves! Começamos 2020 ambicionando prosperar, mas tivemos que nos contentar em apenas sobreviver. 2021 não foi diferente. O que esperar de 2022?           Alguns setores da economia não tiveram do que reclamar, outros... faliram. Como país, ficamos mais pobres porque produzimos menos. Ficamos mais ignorantes porque estudamos menos. Ficamos mais vulneráveis, porque nos dividimos e nos isolamos.  Pandemia e politicagem formaram uma dupla desafinada e estridente, que buzina com uma insistência de enlouquecer. Falsas dicotomias surgem a cada noticiário, insinuando que o bem comum e os direitos individuais são irreconciliáveis. Escolhemos um dos lados e nos entrincheiramos nas redes sociais, disparando sem piedade contra quem está e

Klaus: um jeito diferente de enxergar o Papai Noel

Imagem
Klaus: filme dirigido por Sergio Pablos UM JEITO DIFERENTE DE ENXERGAR O PAPAI NOEL Ao longo da vida já enxerguei a noite de Natal por diferentes ângulos. Quando criancinha, olhando os adultos de baixo para cima, sonolento dado o avançar das horas, só prestava atenção no colorido dos papéis de presente, tentando adivinhar qual deles seria o meu. Quando cresci e passei a enxergar o tampo da mesa, só tinha olhos para a fartura da ceia. Quando comecei a trabalhar, senti o prazer de poder presentear. Quando me casei, precisei me desdobrar em dois, um ano lá outro cá. Quando minha filha nasceu me peguei olhando de cima para baixo, tentando manter as tradições. Quando amadureci, entendi que confraternizar era mais do que apenas levantar brindes e tilintar os copos.         Aprendi os significados religiosos do Natal e ao longo dos anos percebi os laços familiares se apertando ao meu redor, conforme os mais singelos presentes eram trocados. Senti a falta dos que partiram. Comemorei a chegada

Meu Malvado Favorito

Imagem
UM DIVERTIMENTO ONDE A LINGUAGEM DO CINEMA É TRATADA COM SERIEDADE   Meu Malvado Favorito: animação dirigida por Chris Renaud e Pierre Coffinos Em que tipo de produção um diretor poderia abusar dos estereótipos e clichês, indo além do razoável, sem acabar crucificado? Numa comédia de animação para crianças, é claro. Em Meu Malvado Favorito, Chris Renaud e Pierre Coffinnos nos apresentam a personagens encantadores e hilários, que vivem aventuras deliciosamente absurdas num universo criado com coerência narrativa e refinamento estético. Só adultos incuráveis resistem a tanta criatividade! ------------------------------ Um vilão do bem, garotinhas órfãs e encantadoras e um bando de... Minions, todos envolvidos em uma trama digna dos melhores espiões do cinema e usando traquitanas tecnológicas improváveis. Chamaria essa mistura de minha animação favorita, mas o nome correto é Meu Malvado Favorito, filme de 2010. Os roteiristas Cinco Paul, Ken Daurio e Sergio Pablos capricharam nas referên