O Vôo da Fênix

UM FILME QUE RENASCE DAS CINZAS, NUM REMAKE QUE VOA BEM, MAS RASANTE

O Vôo da Fenix: dirigido em 1965 por Robert Aldrich

Em O Vôo da Fênix, de 2004, o diretor John Moore segue os passos de Robert Aldrich, que dirigiu o original em 1965. Quatro décadas depois, a história dos homens que lutam para sobreviver no deserto de Gobi após um acidente aéreo continua funcionando. Tem personagens carismáticos e certa densidade. Mas, ao invés de subir um degrau, aproveitando o potencial dramático do roteiro, os realizadores desceram ao nível da ação pura. Ainda assim vale a pena conferir.
------------------------------
Assisti ao Vôo da Fênix, de 1965, quando era garoto. Meu pai, deitado no sofá, com seu cachimbo soltando fumaça e os olhos grudados na tela da TV em preto e branco. Eu, esparramado no chão, aproveitava cada momento na companhia dele, enquanto tentava adivinhar como James Stewart, Richard Attenborough e Ernest Borgnine escapariam daquele deserto. Por meio desse filme descobri que existam aeromodelos. Aprendi também que, na mitologia grega, havia uma ave capaz de renascer das próprias cinzas. Quando lançaram a versão de 2004, com Dennis Quaid, Giovanni Ribisi e Tyrese Gibson, achei que reviveria as mesmas emoções daquela noite inesquecível. Que nada! O remake só serviu para mostrar como, depois de adulto, fiquei bem mais exigente com o cinema. Pelo menos revisitei uma ótima história e resgatei boas memórias afetivas.

Dica de Filme
O Vôo da Fênix

Data de produção: 1965
Direção: Robert Aldrich
Roteiro: Joseph F. Biroc
Elenco: James Stewart, Richard Attenborough e Ernest Borgnine


Comentários

Leia também: