A Esposa: filme que quase deu o Oscar a Glenn Close


A Esposa: filme dirigido por Björn Runge

UM DIRETOR COMPETENTE REGENDO ATORES QUE DIZEM MUITO APENAS COM O OLHAR

Joe Castleman está indo a Estocolmo, receber o prêmio Nobel de Literatura, mas é um sujeito medíocre como marido, como pai e como... escritor! Joan Castlemam, sua mulher que o acompanha por toda a vida, é o verdadeiro gênio literário do casal. No filme A Esposa, de 2017, o diretor sueco Björn Runge arranca ótimas atuações de Glenn Close e Jonathan Pryce para nos contar como eles construíram uma vida inteira de mentiras.
        Baseado no romance The Wife, escrito por Meg Wolitzer, o filme narra o drama de Joan Castleman, uma mulher obediente e cumpridora do seu papel de apoiar o marido, mas que arde por dentro em ressentimento e frustração por ter se anulado ao longo de 40 anos de casamento. Joe Castleman, acostumado a estar no centro das atenções, está no auge da carreira e ocupado demais com o próprio ego para perceber que a panela de pressão está prestes a explodir.
        O roteiro é assinado pela experiente Jane Anderson – assina, por exemplo, a série Mad Men. Em A Esposa ela apresenta ótimas soluções narrativas, indo e voltando em flashbacks com função dramática, para revelar aos poucos a índole dos personagens. Seu maior esforço foi para criar um retrato mais nítido e verdadeiro de Joe, já que o livro de Meg Wolitzer é narrado em primeira pessoa por uma Joan raivosa e ressentida. A roteirista precisou acrescentar elementos na história, para deixar os conflitos mais claros para o espectador, mas de modo geral conseguiu manter o espírito do romance.
        Num primeiro momento parece que Glenn Close, com sua excelente atuação, carrega o filme nas costas. Não há como negar que a atriz brilha fulgurante em cena, nos surpreendendo com as várias camadas psicológicas da sua personagem. E quanto a Jonathan Pryce... ele esbanja competência! Annie Starke e Harry Lloyd, interpretando os Castleman enquanto jovens, também se saem bem, elevando a qualidade do filme.
        Mas, olhando bem, reparamos que há outro elemento essencial que precisa ser considerado: a direção segura de Björn Runge. O diretor sueco, trazendo um respeitável currículo de produções para o cinema e para a TV em seu país, soube filmar de modo a resgatar o porte e a elegância do cinema clássico. E o mais importante, ele entendeu que suas lentes deveriam estar focadas em Joan e sua jornada.
        Em resumo, A Esposa é um filme bem realizado, com personagens cheios de segredos e que pagam um alto preço por suas escolhas ao longo da vida. Vale a pena conferir!

Filme: A Esposa

Data de produção: 2017
Direção: Björn Runge
Roteiro: Jane Anderson
Elenco: Glenn Close, Jonathan Pryce, Annie Starke, Harry Lloyd, Christian Slater, Nathaniel Bone, Max Irons, Elizabeth McGovern e Alix Wilton Regan

Comentários

Leia também:

Siga a Crônica de Cinema