O Segredo dos Seus Olhos: estrelado por Ricardo Darin

Cena do filme O Segredo dos Seus Olhos
O Segredo dos Seus Olhos: filme de Juan Jiosé Campanella

QUANTO MAIS BEM GUARDADOS OS SEGREDOS, MAIOR A NOSSA CURIOSIDADE

Um crime sem solução, um inquérito em aberto e motivos de sobra para querer ver a justiça sendo feita. Dito assim, é fácil classificar O Segredo Dos Seus Olhos, dirigido em 2010 por Juan José Campanella e estrelado por Ricardo Darín, como um filme de mistério policial. A verdade é que essa produção argentina vencedora do Óscar de melhor filme estrangeiro em 2010 vai muito além. Nos conta uma história envolvente, salpicada de momentos de tensão, pitadas de humor e uma certa atmosfera romântica.
        Lembro de ter festejado muito esse Óscar. Não apenas por se tratar de um filme argentino – puxando a brasa para o nosso cantinho sul-americano – mas por trazer uma história muito bem roteirizada, dirigida e interpretada. É cinema de encher os olhos! Porém, tudo o que enxergamos é controlado com mão firme pelo diretor. Ele é habilidoso em nos conduzir entre o passado e o presente, para revelar cada detalhe da investigação em doses precisas, sempre no momento certo. Até surpreender no final.
        Em O Segredo Dos Seus Olhos, Benjamín Chaparro (Ricardo Darin) é um funcionário do judiciário argentino, lotado em um tribunal de investigação em Buenos Aires. Aposentado, decide escrever um livro dando fechamento a uma investigação de assassinato ocorrido há 25 anos. A vítima, a jovem e radiante Liliana Colotto de Morales (Carla Quevedo), deixou o viúvo Ricardo Morales (Pablo Rago) inconsolável. Na época Benjamin revirou pistas com a ajuda do seu parceiro com inclinações etílicas Pablo Sandóval (Guillermo Francella) e de Irene Menéndez-Hastings (Soledad Villamil), a chefe com quem viveu um romance não correspondido. Chegaram muito perto de solucionar o caso, mas forças políticas acima da sua alçada criaram um obstáculo intransponível. Quem sabe agora o mistério possa ser resolvido?
        Além de trazer uma narrativa costurada em flashbacks, O Segredo Dos Seus Olhos transita por diferentes gêneros, misturando elementos de thriller com momentos de comédia, passagens luminosas e outras tantas referências aos filmes noir. Campanella demonstrou seu pleno domínio da linguagem cinematográfica, entrelaçando as diferentes tonalidades com sutileza e sensibilidade, sem jamais perder o controle da história. Antes, porém, teve que se juntar a Eduardo Sacheri, um dos maiores destaques da literatura contemporânea argentina e autor de La Pregunta de sus Ojos, romance que inspirou o filme, para escrever um roteiro exemplar.
        Outro elemento que salta aos olhos nesse filme é a qualidade da produção. Um momento marcante é quando Campanella filma um ousado plano-sequência, onde a câmera desce do céu até um estádio de futebol lotado e percorre as arquibancadas, enquanto o protagonista persegue o assassino. Filmada em três dias, consumiu nove meses de pós-produção, empregando diferentes técnicas digitais para dar a ilusão de que se tratou de uma única tomada.
        Para completar a lista de virtudes, é preciso lembrar que os realizadores souberam escolher um elenco magnético. Encabeçados por Ricardo Darín, entregaram atuações impecáveis, que deram a credibilidade a todos os personagens. É o cinema argentino se sobressaindo como o melhor da América do Sul. Temos aqui uma história policial com atmosfera portenha e terríveis desdobramentos políticos, contada num ritmo envolvente e que nos traz um final marcante. Um grande filme, para dar um tempo naquela estética hollywoodiana que impera no gênero.

Resenha crítica do filme O Segredo dos Seus Olhos

Data de produção: 2010
Direção: Juan José Campanella
Roteiro: Juan José Campanella e Eduardo Sacheri
Elenco: Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago, Javier Godino e Guillermo Francella

Comentários

  1. Amei este filme.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo filme Argentino com uma bem elaborada história merecedor do Oscar de melhor filme estrangeiro. Esse tenho, se não estou enganado tem outro filme com mesmo roteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, há uma versão hollywoodiana, que não chegou aos pés desse filme incrível!

      Excluir

Postar um comentário

Confira também:

Menina de Ouro: a história de Maggie Fitzgerald é real?

Encontro Marcado: explicando para a morte qual é o sentido da vida

Siga a Crônica de Cinema