A Queda! As Últimas Horas de Hitler

PERSONAGENS ABOMINÁVEIS, LIDERADOS POR UM MONSTRO E RETRATADOS COM INCÔMODA TRANSPARÊNCIA



A Queda! As Últimas Horas de Hitler: filme dirigido por Oliver Hirschbielgel

        Engana-se quem acredita que o mal se apresenta horrendo, repugnante, com feições monstruosas... Nada disso! Ele se mostra afável, sedutor, carismático e inspirador. É assim que consegue alcançar seus objetivos. O Hitler que vemos aqui é aquele que já deixou cair a máscara, mas vez ou outra se lembra de colocá-la. É aquele que se enfurnou no seu bunker, cercado de capangas, mas rosna feroz à espera do fim. Chafurdando em podridão, ainda reluta em admitir sua condição humana e continua posando de divindade.
        A Queda! As Últimas Horas de Hitler é um filme triste e pesado. Narra uma página que gostamos de arrancar dos livros de história, mas se a ignorarmos, corremos o risco de encontrá-la de novo mais adiante. Talvez por isso o produtor e roteirista Bernd Eichinger tenha se esforçado tanto para viabilizar esse filme. Nas mãos do diretor Oliver Hirschbiegel ele ganhou uma intensidade dramática que não vemos nos documentários sobre a Segunda Guerra Mundial. As figuras históricas que o povoam são tratadas como personagens, que fazem escolhas e agem, que usam as palavras e os gestos para comandar e impor suas vontades.
        O mais notável nesse filme – mais ainda que sua precisão histórica e o tratamento visual realista – é o minucioso trabalho executado pelo competente elenco. É claro que o destaque vai para Bruno Ganz, um ator superlativo, que personificou um Hitler assustadoramente verdadeiro. Muitos se revoltaram: onde já se viu interpretar o ditador nazista com lampejos de humanidade? Mas assim é o cinema: uma arte onde o ser humano acaba se vendo refletido em detalhes mínimos.
        Embora tenha sido exitoso em expor o significado horroroso da guerra, A Queda! As Últimas Horas de Hitler gerou espasmos de humor na internet. Alguns dos incontáveis memes que circularam com legendas para alterar as falas de Bruno Gaz provocaram boas risadas. Mesmo assim, não conseguiram alterar o fato de que se trata, sim, de um filme triste e pesado, realizado com competência, sensibilidade e forte senso de realidade.



Fabio Belik é autor do livro Ventania

Um romance com sotaque de cinema. Em 278 páginas narra a história de Daniel, um garoto de 9 anos que em 1969 se vê às voltas com o abandono, vivendo momentos de amadurecimento e superação. À venda no Clube de Autores.



Filme: A Queda! As Últimas Horas de Hitler


Ano de produção: 2004
Direção: Oliver Hirschbiegel
Roteiro: Bernd Eichinger
Elenco: Bruno Ganz, Alexandra Maria Lara, Corinna Harfouch, Ulrich Matthes, Juliane Köhler e Thomas Kretschmann

Comentários

Leia também: