Lion - Uma Jornada para Casa: filme australiano sobre um drama indiano


Lion - Uma Jornada Para Casa: dirigido por Garth Davis

UMA HISTÓRIA SIMPLES E PODEROSA

Os filmes têm esse poder de estabelecer conexões emocionais entre as experiências que vivenciamos de fato e aquelas das quais nos apropriamos depois fruir uma obra cinematográfica. Não há lógica nessas conexões, mas elas afetam a nossa visão do mundo e a maneira como lidamos com ele. Quando penso em Lion - Uma Jornada Para Casa, produção australiana de 2016 dirigida por Garth Davis, não consigo deixar de lembrar o fato que me aconteceu naquela noite chuvosa, antes de assistir ao filme.
        Quando voltava para casa ao cair da tarde, parei em um posto para abastecer o carro. O frentista anotou o valor num papelzinho e eu tomei o rumo da loja. Queria chegar depressa ao caixa, pagar de uma vez e seguir viagem. O rapaz que abastecia na bomba ao lado também estava com pressa e veio longo atrás. Acontece que o chão estava liso e acabei escorregando. Foi um tombo... cinematográfico! Daqueles em que o vivente chega a ficar com os dois pés para cima e bate a parte de trás da cabeça. Estatelado sobre uma poça d´água, fiquei desorientado por um segundo, mas percebi quando o rapaz que vinha na minha cola passou por cima de mim e continuou, apressado, até o caixa. O sujeito teve que alargar o passo para não tropeçar nesse cronista descuidado, mas venceu a corrida até o caixa!
        Nem sabia que era uma competição! Quando consegui me levantar, estava todo molhado. Não havia ninguém ao redor – nem mesmo o frentista estava por perto. Cheguei ao caixa e o rapaz, que já estava de saída, seguiu como se não tivesse percebido coisa alguma. Vou poupar o leitor e saltar a parte em que discuti com o caixa, esbravejei sobre a falta de avisos no piso escorregadio e berrei impropérios jurando que nunca mais poria os pés naquele lugar. Vou direto ao ponto em que, depois de jantar, Ludy me convenceu a assistir a um filme, para me acalmar e esquecer como o mundo é habitado por gente mesquinha, sem consideração e incapaz de lançar um olhar compassivo para quem quer que seja. Por sugestão dela, cliquei em Lion - Uma Jornada Para Casa e esqueci do mundo! Minha mulher acertou em cheio!
        Em poucas cenas estava concentrado em uma história poderosamente simples e verídica, sobre o reencontro de mãe e filho separados pelo destino. O filme conta como um garotinho indiano se perde de casa e é adotado por uma família australiana. Sem saber explicar de onde veio, ele passa a vida buscando pistas, até que o advento do Google Earth traz a chance de esclarecer o mistério. A história ganhou espaço na mídia e comoveu o público nos dois países. Vejamos uma sinopse:
        A narrativa começa em 1986, quando Saroo (Sunny Pawar), vivaz como todo garoto de cinco anos, convence seu irmão Guddu (Abhishek Bharate) a levá-lo junto em sua empreitada noturna – roubar carvão de trens parados em uma estação próxima. Saem sem avisar a mãe, Kamla Munshi (Priyanka Bose) e seguem pela paisagem árida de alguma região remota e empobrecida da Índia. Quando o garotinho já não se aguenta de sono, o irmão o põe para dormir em um banco. Mas há um momento em que Saroo acorda e não vê o irmão. Procura por ele e acaba adormecendo de novo, dessa vez num lugar mais confortável: dentro de um vagão. Mas há um momento em que esse vagão se põe em movimento! Quando desperta, o garotinho já está distante de casa, sabe-se lá quantas centenas de quilômetros. E continua seguindo por dias, até dar em Calcutá. Aos cinco anos de idade, Saroo agora está com medo, perdido em uma cidade imensa, sem falar o idioma local – há mais de 20 idiomas oficiais na Índia. Corre perigos imagináveis, até ser acolhido em uma instituição e ganhar uma família adotiva.
        Passados 25 anos, o jovem Saroo (Dev Patel) ainda carrega a angústia da separação. Nem mesmo a vida confortável e produtiva que leva, proporcionada pela amorosa mãe adotiva, Sue Brierley (Nicole Kidman) é capaz de abrandar a dor. Tudo o que ele deseja é revirar as lembranças até encontrar pistas que revelem de qual cidade remota da Índia ele partiu. Que o levem a reencontrar o irmão e a mãe biológica.
        A história de Saroo Brierley ganhou notoriedade e o diretor Garth Davis envolveu-se nela desde que os direitos para o cinema foram adquiridos. Ele viajou para a Índia e estava na pequena aldeia no momento em que o famoso programa americano 60 Minutes promoveu o encontro entre mãe e filho. Conheceu todos os personagens envolvidos, vivenciou a imensa carga emocional da história e compreendeu sua amplitude geográfica. Mas, apesar de perfeita, a história não estava pronta para as telas. Precisava de um roteiro.
        O roteirista Luke Davies entrou no projeto com a missão de construir o subtexto sobre uma estrutura narrativa que parecia óbvia. Ele começou a escrever antes do livro de memórias de Saroo Brierley, intitulado A Long Way Home ser publicado. Portanto, precisou trabalhar basicamente entrevistando a família biológica, a família australiana, os amigos e demais personagens envolvidos. Ciceroneado por Saroo, ele conheceu todos os lugares onde os eventos reais aconteceram. Com tanto empenho por parte do diretor e do roteirista, o filme conseguiu encapsular doses generosas de emoções diversas, tristes e felizes, densas e leves, mas sempre subordinadas a um sentimento de amor profundo e de apego aos valores familiares.
        Ao final de Lion - Uma Jornada Para Casa, depois de acompanhar essa história simples e verdadeira, fiquei com a certeza de que o mundo, vejam só, não é habitado apenas por gente mesquinha, sem consideração e incapaz de lançar um olhar compassivo para quem quer que seja. Há os que se importam, o que se detém e olham para o lado, estendem a mão...
        Talvez o rapaz apressado do posto de gasolina também tenha assistido a esse filme. Talvez tenha se emocionado. Talvez tenha parado para relaxar e refletir. Sei lá!

Filme: Lion - Uma Jornada Para Casa


Título original: Lion
Título em Portugal: Lion - A Longa Estrada para Casa
Ano de produção: 2016
Direção: Garth Davis
Roteiro: Luke Davies
Elenco: Dev Patel, Sunny Pawar, Rooney Mara, David Wenham, Nicole Kidman, Abhishek Bharate, Divian Ladwa, Keshav Jadhav, Priyanka Bose, Deepti Naval, Tannishtha Chatterjee, Nawazuddin Siddiqui, Benjamin Rigby, Menik Gooneratne, Riddhi Sem, Kaushik Sem, Rita Boy, Pallavi Sharda, Sachin Joab, Arka Das, Emilie Cocquerel e Todd Sampson

Comentários

Leia também:

Siga a Crônica de Cinema