Sempre ao Seu Lado: laços emocionais apertados demais

Cena do filme Sempre ao Seu Lado
Sempre ao seu lado: filme dirigido por Lasse Hallström

UMA BOA HISTÓRIA, CONTADA COM SIMPLICIDADE

O diretor é sueco: Lasse Hallström. O roteirista é americano: Stephen P. Lindsey. E o filme, um remake de uma produção japonesa de 1987, intitulada Hachiko Monogatari e dirigida por Seijiro Koyama. Sempre ao Seu Lado, realizado em 2009, é estrelado por Richard Gere e conta a história real de Hachiko, um cachorro cuja fidelidade o leva a voltar diariamente a uma estação de trem, para receber o professor universitário que o adotou. E o adorável cão continua repetindo o gesto, dia após dia, mesmo após a morte do seu dono, na esperança de reencontrá-lo.
        Trata-se de uma história singela – para termos uma sinopse completa, bastariam alguns poucos acréscimos ao que já foi dito – mas seu apelo emocional é poderoso: fala de fidelidade, laços de afetividade e toca com sutileza em assuntos espirituais. Essa história teve grande alcance popular no Japão, onde realmente aconteceu, entre as décadas de 1920 e 1930. Acabou engendrada na cultura local, mas contém elementos que lhe conferem um caráter universal. O Hachiko original era da raça akita e seu dono, Hidesaburō Ueno, morreu em 1925, mas o cão retornou à estação de trem de Shibuya diariamente, por nove anos. Sua história de fidelidade foi publicada nos jornais e ganhou repercussão nacional. Hoje, quem visita a tal estação de trem, encontrará uma estátua de bronze erguida em sua homenagem.
        No filme Sempre ao Seu Lado, o cão também é da raça akita e veio diretamente do Japão. Por falhas durante o transporte, o pequeno filhote vai parar na estação de trem de Bedridge, em Boston. Lá ele acaba encontrado pelo professor de música Parker Wilson (Richard Gere), que o acolhe imediatamente. Como ninguém reclama a posse do cão, Parker o adota, apesar da resistência inicial de sua mulher, Cate (Joan Allen). Com a ajuda de um colega da universidade, o professor Ken Fujiyoshi (Cary-Hiroyuki Tagawa), Parker descobre que o cão é da raça Akita e que traz na coleira a palavra "hachi", o caractere japonês para o número oito. Pronto, o cãozinho está batizado! Com o passar dos anos, Hachi e seu dono se envolvem em uma rotina tranquila, mas cercada de afetividade e qualidade de vida. O recorte que acompanhamos na história de todos personagens nos remete a um período de amadurecimento, onde a busca por equilíbrio dá a tônica. Mas, como uma metáfora para a vida, chega um dia em que as idas e vindas pela estação têm fim. Mas Hachi não aceitará isso!
        Para funcionar, uma história baseada em fatos precisa ser contada com emoção verdadeira. O elenco do filme Sempre ao Seu Lado, que além de Richard Gere conta com Joan Allen, Sarah Roemer e Jason Alexander, dá conta do recado, entregando excelentes atuações. Mas o trabalho mais sutil ficou mesmo nas mãos do roteirista Stephen P. Lindsey. Ele inicia sua narrativa na voz de Ronnie (Kevin DeCoste), neto do professor de música, que na escola faz uma apresentação para os colegas, falando do seu herói pessoal e seu inseparável Hachi. Pronto, estamos emocionalmente fisgados! Outro mérito do roteirista está na sua manobra para conseguir credibilidade, incorporando elementos orientais à trama. Ele acrescentou o personagem do professor Ken, responsável por explicar ao espectador os elementos culturais que dão amarração à história.
        De seu lado, o diretor Lasse Hallström sabe onde pisa – seu primeiro filme internacional, realizado em 1985 foi Minha vida de cachorro e em 2017, repisou o tema com Quatro Vidas de Um Cachorro! Ele conduz o filme Sempre ao Seu Lado com sensibilidade, num ritmo delicado e preciso, ressaltando os momentos emocionantes por meio de uma trilha sonora eficiente e bela. Para as filmagens, o diretor usou três Akitas, cada um interpretando uma fase na vida de Hachi. Comj belas imagens, nos fez respirar uma atmosfera oriental o tempo todo, o que ressaltou a força poética da história.
        No filme Sempre ao Seu Lado, os laços emocionais – e como eles se fortalecem – são abordados com delicadeza e bom gosto. Não há exageros nem apelos fáceis para verter lágrimas. Elas vêm, mas brotam da sinceridade com que a história é contada.

Resenha crítica do filme Sempre ao Seu Lado

Data de produção: 2009
Direção: Lasse Hallström
Roteiro: Stephen P. Lindsey
Elenco: 
Richard Gere, Joan Allen, Erick Avari, Jason Alexander, Sarah Roemer, Cary-Hiroyuki Tagawa, Robbie Collier Sublett, Davenia McFadden, Kevin DeCoste e Tora Hallström

Comentários

  1. Esse filme me pegou num momento MT especial pois tinha perdido meu cachorro. Chorei pra caramba.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É impossível não se emocionar com essa história, ainda mais quando há um forte identificação afetiva.

      Excluir
  2. Tenho o o filme só de pensar nele, choro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Maria Fernandes. E são lágrimas que brotam da emoção verdadeira que os realizadores conseguiram expressar.

      Excluir

Postar um comentário

Confira também:

Menina de Ouro: a história de Maggie Fitzgerald é real?

Encontro Marcado: explicando para a morte qual é o sentido da vida

Siga a Crônica de Cinema