À Procura da Felicidade: adaptação da história real de Chris Gardner


À Procura da Felicidade: filme de Gabrielle Muccino

O TRIUNFO DO INDIVÍDUO SOBRE AS FORÇAS QUE O ARRASTAM PARA O REBANHO

Acompanhando o título original em inglês, penso que em português esse filme poderia se chamar À Procura da Filicidade – com “i” ao invés de “e”. É assim, com a grafia errada, que Chris Gardner encontra a palavra escrita numa parede da escola do filho, quando vai buscá-lo depois de um dia difícil. Ele percebe o erro e se dá conta de que o desleixo com o que é correto, por menor que seja, só leva à corrosão dos valores mais caros ao ser humano. Então ele segue na retidão. Come o pão que o diabo amassou, mas insiste no único bem que possui: a capacidade de lutar honestamente enquanto tiver forças.
        Porém, Chris Gardner chega ao fundo poço! Vendedor talentoso e hábil com números, investiu tudo o que tinha numa falsa oportunidade. Perdeu tudo! Sem fonte de renda e sem lugar para morar, perambula com o filho em estado de indigência. À Procura da Felicidade, filme de 2006 dirigido por Gabriele Muccino narra essa história real de superação, que só acontece depois de muito sofrimento.
        Chris se viu imerso em um poço de problemas financeiros, quando ficou sem dinheiro para pagar as contas e garantir o sustento da família. Sua mulher, Linda, não aguentou o rojão e partiu deixando Christopher, o filho de cinco anos, por conta dele. Sem chão, vai em busca de um emprego, mas tudo o que consegue é um estágio não remunerado e uma promessa de contratação, caso seja o vencedor entre todos os estagiários concorrentes. Quando a notificação de despejo chega, ele vira morador de rua e passa a sobreviver com o filho graças à caridade dos outros.
        O roteiro de Steven Conrad é uma adaptação do livro homônimo de Chris Gardner e Quincy Troupe e consegue a façanha de sintetizar uma história densa e emocionante, sem cair na pieguice. Conrad – que depois escreveria também o roteiro do filme Extraordinário – conta que manteve muitas conversas com o corretor da bolsa Chris Gardner e se identificou com sua história, pois também já se viu à beira da falência. No seu roteiro, focalizou o drama de um pai que tenta educar o filho pelo exemplo e transmitir a confiança necessária à sua formação. Também enfatizou a urgência e a correria de quem tenta não cair no buraco trágico da bancarrota, imprimindo um ritmo ágil à narrativa.
        Uma sacada do roteirista foi incluir na história um elemento que não constava no livro, mas simbolizou a enorme pressão e o fardo que o mundo colocou nas costas do personagem. Teve a ideia de fazê-lo carregar para todos os lugares um pesado scanner de densidade óssea que tentaria vender para médicos e clínicas. Quanto ao diretor Italiano Gabriele Muccino, é preciso dizer que ele soube resistir à tentação e não colocou sentimentalismo em demasia no seu filme. Preferiu deixar que Will Smith e seu filho Jaden exibissem sua ótima química em cena, protagonizando cenas de cortar o coração.
        Vê-los encontrar a felicidade no final do filme é tudo o que desejamos, mas antes, os dois terão que lutar muito contra as forças que desprezam seus valores como indivíduos e teimam em arrastá-los para o meio do rebanho.

 
Filme: À Procura da Felicidade

Data de produção: 2006
Título original: The Pursuit of Happyness
Título em Portugal:  Em Busca da Felicidade
Direção: Gabriele Muccino
Roteiro: Steven Conrad
Elenco: Will Smith, Jaden Smith, Thandie Newton, James Finnerty, James Karen, Kurt Fuller, Mark Christopher Lawrence, Peter Fitzsimmons, Scott Klace
Brian Howe e Dan Castellaneta

Comentários

Leia também:

Siga a Crônica de Cinema