Dunkirk

PERSONAGENS FICTÍCIOS EM SITUAÇÕES PROVÁVEIS REVELAM FATOS VERDADEIROS



Dunkirk: filme dirigido por Christopher Nolan

Uma produção milionária, planejada e executada em escala industrial, retratando um episódio da Segunda Guerra Mundial onde os aliados saem derrotados e os americanos não são os mocinhos. Dunkirk, filme de 2017 escrito e dirigido por Christopher Nolan, é uma grande ousadia. Foi todo concebido na mente de um diretor experiente, que fugiu à tentação de abraçar a linguagem do documentário e alcançou a verdade emocional que a arte da dramatização pode revelar. 
------------------------------
O dramático episódio da evacuação de Dunquerque já havia sido mencionado em recentes produções. Então vem Christopher Nolan tocar de novo nesse assunto. Mas o faz com propriedade: seu filme é intenso e eivado de tensão. Retrata um momento da guerra quando os seus maiores horrores ainda estão no porvir. O que mais chama a atenção é a desorientação e o despreparo da população e dos combatentes. O medo e a perplexidade se misturam com a certeza de que os piores imprevistos podem acontecer. Então surgem os atos de heroísmo, de desespero, de humanidade... Dunkirk é um dos maiores dramas de guerra já filmados e retrata a gigantesca operação de resgate das centenas de milhares de soldados britânicos encurralados pelas tropas nazistas no litoral da França. Não há grandes cenas de batalhas, apenas episódios muito bem encenados. E o envolvimento de civis traz uma intensidade dramática sem precedentes. Vale a pena conferir!


Fabio Belik é autor do livro Ventania

Um romance com sotaque de cinema. Em 278 páginas narra a história de Daniel, um garoto de 9 anos que em 1969 se vê às voltas com o abandono, vivendo momentos de amadurecimento e superação. À venda no Clube de Autores.


 

Filme: Dunkirk


Data de produção: 2017
Direção: Christopher Nolan
Roteiro: Christopher Nolan
Elenco: Fionn Whitehead, Tom Glynn-Carney, Jack Lowden, Harry Styles, Aneurin Barnard, James D'Arcy, Barry Keoghan, Kenneth Branagh, Cillian Murphy, Mark Rylance e Tom Hardy

Comentários

Leia também: