Quatro Irmãos: Mark Wahlberg e Tyrese Gibson estão à frente do elenco


Quatro Irmãos: filme de John Singleton

UM FILME DE AÇÃO ANCORADO NUMA IDEIA PODEROSA

A palavra irmão tem peso enorme quando empregada em ambientes tensos, onde questões raciais e religiosas se interpõem entre as pessoas. Aqui ela é pronunciada quatro vezes, mas para lembrar que se tratam de quatro filhos da mesma mãe. Esse sentido de família é a tônica de Quatro Irmãos, filme de 2005 dirigido por John Singleton e estrelado por Mark Wahlberg, Tyrese Gibson e ótimo elenco. É um filme de ação, com tiros, socos e mortes, mas até consegue ser... edificante!
        John Singleton, que morreu prematuramente aos 51 anos, foi o mais jovem já indicado ao Óscar de melhor diretor, por seu trabalho em Os Donos da Rua, filme que escreveu e dirigiu em 1991. Em Quatro Irmãos ele faz cinema americano por excelência, onde o que está em jogo são as mazelas do crime organizado, a tentação de fazer justiça com as próprias mãos, as dificuldades de manter a lei e a ordem numa Detroit já à beira da falência – com cara de Gothan City no inverno – e as tensões raciais.
        Quatro Irmãos é um remake do filme Os Filhos de Katie Elder, realizado em 1965 por Henry Hathaway e estrelado por John Wayne, Dean Martin, Michael Anderson Jr e Earl Hilliman. Aquele era um faroeste clássico, conduzido de acordo com os cânones do gênero, para que o brilho dos seus astros fosse intenso. Já esse é um filme de ação moderno, que parte do mesmo argumento mas toma rumos diferentes. Vamos à sinopse:
        Bobby (Mark Wahlberg), Angel (Tyrese Gibson), Jeremiah (André Benjamin) e Jack (Garrett Hedlund) trazem o mesmo sobrenome Mercer, mas na aparência são diferentes. Dois são brancos e dois são negros. Além do sobrenome que herdaram da mãe adotiva Evelyn (Fionnula Flanagan), trazem em comum uma infância atribulada e a profunda gratidão pela mulher que os criou com amor e os educou dentro de princípios e valores familiares. A vida separou os quatro, mas eis que estão de volta a Detroit por um motivo trágico: a morte da mãe. Descobrem que ela foi assassinada e decidem fazer a única coisa podem: encontrar os assassinos e se vingar.
        Estamos diante de um filme de ação, com toda a superficialidade que o gênero exige, mas que tem personagens carismáticos, um ritmo excelente e não deixa dúvida sobre quem são os mocinhos e quem são os bandidos. Torcemos sem pudor pelos irmãos Mercer, apesar de toda a violência e impetuosidade que exibem na tela. São espertos, mas certamente estariam mortos – ou na prisão – se não fosse a educação recebida da mãe adotiva. É esse vínculo emocional que faz de Quatro Irmãos um filme envolvente.
        O roteiro escrito por David Elliot e Paul Lovet constrói um filme voltado para os personagens, com espaço para o drama, mas deixa muita margem para que o diretor se divirta realizando as cenas típicas dos filmes de ação. Mark Wahlberg e Tyrese Gibson estão à frente do elenco, mas o personagem que tem maior presença ao longo de todo o filme é a finada mãe dos inusitados irmãos.



Filme: Quatro Irmãos

Data de produção: 2005
Direção: John Singleton
Roteiro: David Elliot e Paul Lovett
Elenco: Mark Wahlberg, Tyrese Gibson, André Benjamin, Garrett Hedlund, Terrence Howard, Josh Charles, Sofía Vergara, Fionnula Flanagan, Chiwetel Ejiofor, Taraji P. Henson e Kenneth Welsh

Comentários

  1. Ótimo filme para entretenimento. Para alegrar os olhos há também a presença de uma jovem Sofia Vergara no papel da namorada (caliente) de um dos irmãos.
    Belo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, muito obrigado! E sim, a presença dela é mesmo marcante!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do texto? Deixe sua opinião.

Leia também:

Siga a Crônica de Cinema