Contra o Gelo: uma história real de sobrevivência e coragem

Cena do filme Contra o Gelo
Contra o Gelo: filme dirigido por Peter Flinth

SOMOS FISGADOS PELA AUTENTICIDADE

Filme de sobrevivência, baseado em fatos envolvendo personagens reais! Eis aí uma isca que consegue fisgar a maioria dos cinéfilos. Funciona com a Ludy, funciona comigo. Minha mulher e eu sempre damos uma chance a qualquer história que traga tais palavras na sinopse. Foi o que fizemos quando nos deparamos no serviço de streaming com o filme Contra o Gelo, dirigido em 2022 por Peter Flinth. Dessa vez, não nos arrependemos. É uma produção de qualidade e envolvente, que nos impele a seguir com atenção até os créditos finais.
        Trata-se de um filme dinamarquês – a oferta de bom cinema chegando daquele país tem sido grande nos últimos anos! A história se desenrola nos primeiros anos do século XX, quando ainda havia lugares inexplorados em nosso planeta e homens intrépidos o suficiente para arriscar-se no desconhecido, seguros de que retornariam vitoriosos. E quando voltavam, traziam relatos assombrosos, confirmando que não há limites para a audácia do ser humano. Um desses corajosos foi Ejnar Mikkelsen, autor do livro Two Against the Ice, no qual Contra o Gelo se baseou. Pouco conhecido, até mesmo entre os dinamarqueses, esse explorador perambulou pelo Pólo Norte a serviço do Reino da Dinamarca e foi reconhecido por suas valiosas contribuições. Mas sua maior façanha foi... ter sobrevivido. Vamos examinar a sinopse desse filme:
        Em 1909, o capitão Ejnar Mikkelsen (Nikolaj Coster-Waldau) e sua tripulação, a bordo do navio Alabama, estão na Groenlândia buscando sinais de outra expedição anterior, que se perdeu tentando comprovar que aquela região constituía uma massa sólida. Isso poria fim na disputa com os Estados Unidos, que alegavam haver uma divisão marítima no território e que, portanto, apenas uma parte dele pertenceria à Dinamarca. A única forma que Mikkelsen teria de completar a missão seria seguir por terra, usando um trenó puxado por cães, numa jornada que duraria meses. Mas não poderia fazer isso sozinho! Por sorte, o mecânico Iver Iversen (Joe Cole), jovem e inexperiente, apresentou-se como voluntário para segui-lo. Lá se vão os dois, numa missão arriscada, cujo custo seria imenso – sabiam que os cães provavelmente não sobreviveriam e que o retorno até o navio, onde a tripulações permaneceria esperando por eles, teria que ser feito por outros meios, certamente a pé!
        Contra o Gelo é um filme... angustiante! Não sabemos se ambos os protagonistas sobreviverão. Enquanto acompanhamos suas façanhas pela imensidão de gelo que compõe paisagens épicas, vemos uma dinâmica de amizade e respeito se estabelecendo entre os dois. Mais do que um filme de sobrevivência, este é um thriller psicológico, que explora as angústias e os perigos mentais que rondam dois personagens bem distintos, num ambiente de total isolamento: um é velho, outro é jovem. Um é macho alfa, que sabe tudo, o outro é jovem e audacioso, que se meteu numa loucura, mas confia no seu capitão. O grande mérito é que tudo isso foi contado com grande autenticidade.
        O diretor Peter Flinth decidiu que seu filme não poderia ficar confinado em algum estúdio cercado por telas verdes. Resolveu rodá-lo nos gelos onde a história de fato aconteceu! Para encontrar as melhores locações, a equipe foi para a costa norte da Groelândia, seguindo os passos do próprio Ejnar Mikkelsen. Inclusive se depararam com a cabana que os próprios exploradores construíram para sobreviver, ainda preservada depois de 110 anos, graças ao frio e às condições atmosféricas. Tal aventura exigiu um esforço adicional durante as filmagens, já que o frio era intenso e havia poucas horas de luz durante o inverno. Precisaram de equipamentos especiais e chegaram a enfrentar fortes tempestades. Mas o resultado compensou: as cenas que vemos em Contra o Gelo são espetaculares! A fotografia de Torben Forsberg é deslumbrante e... realista!
        Mas nem tudo é verdadeiro nesse filme! Há um urso polar que ataca os protagonistas, numa cena assustadoramente tensa, realizada graças aos recursos da computação gráfica. Nós, os cinéfilos, imediatamente nos lembramos de Leonardo DiCaprio enfrentando a sua própria ursa em O Regresso, mas o diretor Peter Flinth foi criterioso o suficiente para evitar repetições. A cena é pertinente, realista e muito bem executada. Os dois atores em cena são competentes e nos entregam excelentes atuações.
        Outra surpresa de Contra o Gelo está no seu roteiro. Ele foi escrito pelo próprio ator principal, Nikolaj Coster-Waldau – que, aliás, já é conhecido do público por sua participação na série Game of Thrones, onde interpretou o personagem Jaime Lannister. Ele se juntou a Joe Derrick, com quem tem colaborado em outros roteiros e livros. Montaram essa adaptação para as telas com base no livro de Ejnar Mikkelsen, mas também no diário de Iver Iversen. Inclusive encontram gravações em filme dos dois exploradores, feitas em 1970, onde ambos posam como velhos amigos e falam de suas aventuras.
        E por falar em velhos amigos, em Contra o Gelo o ator Nikolaj Coster-Waldau também teve a oportunidade de reencontrar o ator Charles Dance, com quem contracenou em Game of Thornes, onde fez o papel de Lord Tywin Lannister. Não resta dúvida de que os dois atores compõem a estampa do intrépido guerreiro nórdico!

Resenha crítica do filme Contra o Gelo

Ano de produção: 2022
Direção: Peter Flinth
Roteiro: Nikolaj Coster-Waldau e Joe Derrick
Elenco principal: Nikolaj Coster-Waldau, Joe Cole, Charles Dance e Heida Reed

Comentários

Confira também:

Menina de Ouro: a história de Maggie Fitzgerald é real?

Encontro Marcado: explicando para a morte qual é o sentido da vida

Siga a Crônica de Cinema