Vida


Vida: filme dirigido por Daniel Espinosa

No filme Vida, de 2017, a cena em que somos apresentados a Calvin é de prender a respiração. A partir daí o que nos assusta é a sensação de déjà vu

Qual é o profissional mais importante num filme que mistura terror com ficção científica, onde astronautas confinados num ambiente esterilizado se deparam com uma criatura espacial predadora e indestrutível, que vai eliminando um por um dos personagens com frieza monstruosa? O diretor? O roteirista? O diretor de fotografia? O diretor de efeitos especiais? Bem, na minha opinião é o diretor de arte. Quem sabe ele, com um pouco mais de autonomia e liberdade criativa, tirasse essa incômoda sensação de mesmice que gravita em torno do filme Vida, de 2017.

Pela curta sinopse, é fácil perceber que faço aqui uma comparação com o primoroso trabalho que H. R. Giger fez em Alien - O Oitavo Passageiro, filme dirigido por Ridley Scott em 1979. Na época juntaram ficção científica com terror para contar uma história simples e envolvente, criando um um produto feito para durar por décadas.

Mas, apesar do filme Vida não escapar ileso da comparação, é preciso reconhecer: o diretor Daniel Espinosa fez um ótimo trabalho e o elenco atua afinado. Pena que faltou uma boa pitada de originalidade.



Fabio Belik é autor do livro Ventania

Um romance com sotaque de cinema. Em 278 páginas narra a história de Daniel, um garoto de 9 anos que em 1969 se vê às voltas com o abandono, vivendo momentos de amadurecimento e superação. À venda no Clube de Autores.


 

Filme: Vida


Data de produção: 2017
Direção: Daniel Espinosa
Roteiro: Rhett Reese e Paul Wernick
Elenco: Jake Gyllenhaal, Rebecca Ferguson e Ryan Reynolds

Comentários

Leia também: