Os Indomáveis: filme de 2007 é um western moderno com muita ação

Os Indomáveis: filme dirigido por James Mangold

MUITA AÇÃO DESENFREADA, MAS ANCORADA EM ÓTIMOS PERSONAGENS

De um lado, um fora da lei conhecido e popular. De outro, um rancheiro falido, mas imbuído de sólidos valores familiares. O destino coloca os dois em conflito, numa trama onde um deles sairá derrotado. Os Indomáveis, filme de 2007, dirigido por James Mangold e estrelado pelos astros Russel Crowe e Christian Bale é um autêntico western, mas contado numa linguagem ágil e moderna, forjada nos atuais filmes de ação.
        O diretor James Mangold, que mais recentemente realizou o ótimo Ford vs Ferrari, sempre se mostrou um especialista em dirigir atores. Em Os Indomáveis ele parte de um clássico do gênero e incorpora novos conceitos para agradar as plateias mais jovem. Seu filme é um remake de Galante e Sanguinário - 3:10 To Yuma, realizado em 1957 por Delmer Daves e estrelado por Glenn Ford e Van Heflin. O roteiro original é de Halsted Welles e foi baseado num conto escrito em 1953 por Elmore Leonard.
        A sinopse do filme Os Indomáveis é simples: Dan Evans (Christian Bale) é um veterano da guerra civil que perdeu uma perna e se estabeleceu com a família em um rancho no Arizona. Endividado e prestes a perder tudo, acaba aceitando a incumbência de levar Ben Wade (Russel Crowe), chefe de um perigoso bando, até a cidade de Yuma e colocá-lo num trem, que o lavará para a prisão. Evans é um perdedor, mas é honesto e está disposto a fazer a coisa certa. Wade é um assassino frio e violento, mas é inteligente e se sabe capaz de atos surpreendentes. A jornada que enfrentarão não será fácil: pelo caminho vão se deparar com uma quadrilha impiedosa, que fará de tudo para resgatar seu líder.
       O gênero western se consolidou por meio de histórias moralistas e edificantes, onde a civilização precisa se impor sobre uma terra sem lei. Os valores individuais são testados o tempo todo e os atos de bravura se multiplicam. Em Os Indomáveis não é diferente, mas o filme está centrado em dois personagens com certa complexidade, que se vêm às voltas com seus próprios conflitos internos. O destaque é que aqui eles são interpretados por dois grandes atores, que conseguem expressar emoções muito verdadeiras.
        Mas James Mangold estava interessado em contar essa história usando uma linguagem mais moderna. Para isso contou com os roteiristas Michael Brandt e Derek Haas, conhecidos por escrever para filmes de ação mais populares, como... Velozes e Furiosos. No filme Os Indomáveis os dois fizeram um ótimo trabalho. Partindo do conto original de Elmore Leonard, incluíram uma sessão cobrindo as sequências de estrada, com tiros e perseguições. Também incluíram um personagem na história: William Evans (Logan Lerman), o filho de Dan Evans, cuja presença trouxe intensidade dramática para o embate final entre Russel Crowe e Christian Bale... Quero dizer, entre Dan Evans e Ben Wade. É mesmo um filme eletrizante!

Os Indomáveis

Ano de produção: 2007
Direção: James Mangold
Roteiro: Michael Brandt e Derek Haas
Elenco: Russell Crowe, Christian Bale, Logan Lerman, Dallas Roberts, Ben Foster, Peter Fonda, Vinessa Shaw, Alan Tudyk, Luce Rains, Gretchen Mol, Lennie Loftin, Rio Alexander, Johnny Whitworth, Shawn Howell, Pat Ricotti, Benjamin Petry, Forrest Fyre e Luke Wilson 

Comentários

  1. Dupla crowe/Scott navegando por vários gêneros da antiga Hollywood, desta vez um remake do western, um pequeno clássico dos anos 50 do pouco prestigiado Delmer Daves.
    Há mudanças positivas em certos personagens, mas há o pecado do excesso de protagonismo de Crowe como sempre na batuta de Riddley Scott. Pouco acrescenta, somente diversionismo para plateias saborear em um produto bem acabado tecnicamente. Clássicos não se mexem, do contrário destoam. Além de tudo Russell não convence como cowboy sulista por mais ator que seja. Não agradou dessa vez, sou raiz para esse gênero que não voltará a produzir algo fora da curva como já fizeram no passado. Falta autencidade.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Russell Crowe navegando por vários gêneros da antiga Hollywood, desta vez um remake do western, um pequeno clássico dos anos 50 do pouco prestigiado Delmer Daves.
    Há mudanças positivas em certos personagens, mas há o pecado do excesso de protagonismo de Crowe como sempre na batuta de James mangold. Pouco acrescenta, somente diversionismo para plateias saborear em um produto bem acabado tecnicamente. Clássicos não se mexem, do contrário destoam. Além de tudo Russell não convence como cowboy sulista por mais ator que seja. Não agradou dessa vez, sou raiz para esse gênero que não voltará a produzir algo fora da curva como já fizeram no passado. Falta autencidade.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Leia também: