15h17: Trem Para Paris

PESSOAS, PERSONAGENS, ATORES... TODOS MISTURADOS NA MESMA DRAMATIZAÇÃO


15h17: Trem Para Paris: filme de Clint Eastwood

O ataque terrorista ao trem Amsterdã – Paris, frustrado graças à intervenção de três rapazes americanos, foi real, violento e bem registrado. Renderia um ótimo documentário, ou um ótimo thriller. Ao invés disso, Clint Eastwood optou pelo experimentalismo. Em 15h17: Trem para Paris, convocou os heroicos rapazes para interpretar a si mesmos. Quis mostrar que no cinema é a visão do diretor que molda o resultado final. É difícil segurar o ímpeto juvenil desse grande diretor!
------------------------------
Imagine uma reconstituição policial: vítimas, criminosos e testemunhas impondo suas versões dos fatos. Esse é um modelo narrativo ao qual o grande público nunca tem acesso – fica restrito às esferas judiciais. Não sei se Clint Eastwood pensou nisso em 2018, quando filmou 15h17: Trem para Paris, mas sua ideia de pôr os três rapazes para interpretar a si mesmos parece uma tentativa de recriar a cena do crime. Nesse híbrido de documentário e drama o espectador entende as limitações dos atores e tem a impressão de estar muito mais próximo dos acontecimentos reais. Mas fica sem a força dramática dessa história eletrizante. O roteiro é de Dorothy Blyskal, que se baseou no livro assinado pelos três rapazes: Spencer Stone, Anthony Sadler e Alek Skarlatos, além do escritor Jeffrey E. Stern. De novo Clint Eastwood nos conta uma boa história, só que dessa vez decidiu experimentar algo novo. Normal para um diretor com quase 90 anos e em plena forma!


Dica de Filme
15h17: Trem Para Paris


Data de produção: 2018
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: Dorothy Blyskal
Elenco: Spencer Stone, Anthony Sadler e Alek Skarlatos

Comentários

Leia também: