Poder Absoluto

ÓTIMOS ATORES EM CENAS BEM CONSTRUÍDAS, RECITANDO UM TEXTO AFIADO. É DISSO QUE SE TRATA O CINEMA



Poder Absoluto: filme dirigido por Clint Eastwood

Ao invadir uma mansão, ladrão de joias testemunha um assassinato. A vítima, a mulher de um bilionário. O criminoso, um homem importante e poderoso. Por sorte, o ladrão não é um qualquer, mas sim um daqueles personagens durões e infalíveis vividos por Clint Eastwood. Poder Absoluto, filme de 1997 que ele dirige e também protagoniza, é um thriller envolvente, com grandes atuações e um roteiro bem costurado pelo respeitadíssimo Willian Goldman.
------------------------------
Não sei explicar o porquê, mas não aprecio filmes que têm ladrões, vigaristas e larápios como protagonistas. Para romper com essa implicância inicial o enredo precisar ser muito bom. Poder Absoluto conseguiu esse feito e capturou minha atenção. Não está entre os grandes filmes assinados pelo diretor, mas reúne diversas qualidades que me lavam a recomendá-lo.

O personagem interpretado por Clint Eastwood ganha certa profundidade. Apesar do desvio de caráter que o reduz a um mero ladrão, aos poucos revela seus valores e seus códigos de conduta. Perseguido pela polícia e por gente muito poderosa, suas ações são imprevisíveis e surpreendentes. O elenco também nos entrega ótimas atuações, com destaque para Ed Harrys e Laura Linney. Gene Hackman, sempre carismático, soa um tanto estereotipado, mas é Judy Davis que se mostra o elo mais fraco.

Willian Goldman, roteirista de filmes como Maratona da Morte, Butch Cassidy e Todos os Homens do Presidente, costura aqui um roteiro preciso, com diálogos afiados e cenas repletas de oportunidades dramáticas. A direção de Clint Eastwood é correta – mas por vezes um tanto... protocolar. Infelizmente, aqui o percebemos ainda apegado aos simbolismos e cacoetes que fizeram sua fama nos filmes de ação.

Poder Absoluto é um filme envolvente. Depois que você dá o play, mergulha numa trama policial com desdobramentos políticos e só pensa em descobrir como ela vai terminar.



Fabio Belik é autor do livro Ventania

Um romance com sotaque de cinema. Em 278 páginas narra a história de Daniel, um garoto de 9 anos que em 1969 se vê às voltas com o abandono, vivendo momentos de amadurecimento e superação. À venda no Clube de Autores.


 
Filme: Poder Absoluto

Ano de produção: 1997
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: William Goldman
Elenco: Clint Eastwood, Gene Hackman, Ed Harris, Laura Linney, Scott Glenn, Dennis Haysbert e Judy Davis

Comentários

  1. Olá, Fabio!! Tem um filme o qual acredito que com certeza vai fazer você romper com essa implicância de não apreciar filmes que têm ladrões, vigaristas e larápios como protagonistas. Estou falando de Golpe de Mestre, com Paul Newman e do Robert Redford, você já assistiu? Se sim, gostaria muito de ler um comentário seu sobre ele, se não, lhe indico e tenho certeza que você não vai se decepcionar, pois percebo em suas crônicas que você gosta muito de um bom roteiro extremamente rocambolesco e inteligente, isso o filme tem de sobra. Grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Bido Monteiro, Golpe de Mestre é um grande filme. Vi e revi, mas foi há anos. Sua dica é ótima. Vou acrescentá-lo na minha lista para revisitá-lo e escrever um comentário. Mas minha implicância é apenas porque já assisti a filmes onde acabam abrindo concessões morais, ou insinuam que a "ética" entre bandidos é suficiente. Quando a histórias é boa e vale a pena ser contada, não me importo com a temática. Veja, por exemplo, Pulp Fictiom, que é basicamente sobre larápios e bandidos, mas Tarantino não os torna heróis.

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do texto? Deixe sua opinião.

Leia também: