Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2021

O Substituto: Adrien Brody vive os dramas pessoais de um professor

Imagem
O Substituto: filme dirigido por Tony Kaye DENSO E DELICADO, UM FILME QUE TEM MUITO A ENSINAR Recentemente – antes da pandemia – assisti a uma palestra onde o palestrante, para desenvolver seu raciocínio sobre o aprendizado, estabeleceu a diferença entre ser um aluno e ser um estudante. Usou uma das palavras para se referir à postura acomodada de quem só consome o conhecimento posto à sua frente e a outra para ressaltar a atitude proativa de quem vai além, buscando mais conhecimento. – Que bobagem! – pensei. – São só sinônimos. Ponha 30 jovens numa sala de aula e terá 30 atitudes diferentes! O que realmente faz a diferença é o professor!           Um aluno ou estudante, por definição, é alguém orientado por um mestre. Não tenho formação em pedagogia e minha única experiência em sala de aula é a dos que sentam nas carteiras. Mas sei que o aprendizado é muito mais rápido e efetivo quando vem sistematizado por alguém que se disponha a ensinar. A compartilhar experiências. Ao invés de pres

O Patriota: história sobre a guerra pela independência

Imagem
O Patriota: filme dirigido por Roland Emmerich UM VALOR QUE SE CONQUISTA E PELO QUAL É PRECISO LUTAR Se você busca informações precisas sobre a guerra de independências dos Estados Unidos, para obter uma visão inequívoca da realidade social e racial daquela nação em trabalho de parto, não as encontrará em O Patriota . Mas se está interessado em uma obra de ficção bem realizada, com ótimos personagens, um roteiro bem costurado e uma história emocionante, enaltecendo valores como liberdade, honra, família e a defesa da propriedade privada, então veio ao filme certo!           Em O Patriota , filme de 2000 dirigido por Roland Emmerich, Mel Gibson interpreta Benjamin Martin, um calejado ex-combatente que se tornou fazendeiro na Carolina do Sul. Em 1796 ele mantém uma fazenda produtiva – onde não trabalham escravos, mas sim homens livres e assalariados – e goza de respeito na Comunidade. Tem sete filhos e nenhuma intenção de apoiar a guerra contra a coroa britânica.           Ocorre que a g

Cabo do Medo: filme estrelado por Robert De Niro

Imagem
Cabo do Medo: filme dirigido por Martin Scorsese UM THRILLER COM PERSONALIDADE, QUE PERMANECE ASSUSTADOR Há muito não visitava Cabo do Medo , realizado em 1991 por Martin Scorsese. Fiz isso outro dia – reconheci a capa navegando por um serviço de streaming e cliquei de imediato. No cinema, quando assisti ao filme pela primeira vez, o impacto foi brutal. Saí impressionado com tanta violência psicológica. Desde então já assisti a muitos filmes violentos e me imaginava calejado o suficiente, a ponto de subestimar uma história contada há décadas. Nada disso! Ela continua perturbadora.           Cabo do Medo é uma refilmagem de Círculo do Medo, dirigido em 1962 por J. Lee Thompson e baseado no romance The Executioners, escrito por John D. MacDonald. A película em branco e preto era estrelada pelos astros Gregory Peck e Robert Mitchum e apresentava a estética clássica dos thrillers Hollywoodianos que reverenciavam as fórmulas de Alfred Hitchcock. Martin Scorsese resgatou essa atmosfera, m

O Auto da Compadecida: vai além do significado de encenação popular e vira um grande filme

Imagem
O Auto da Compadecida: filme dirigido por Guel Arraes UM FILME COM FORTE SOTAQUE DE... TELEVISÃO Assim como Pier Paolo Pasolini se debruçou no começo dos anos 70 a traduzir para a linguagem do cinema as histórias medievais que Boccaccio imortalizou em Decamerão , Guel Arraes se entregou com prazer à tarefa de verter para o cinema três peças escritas por Ariano Suassuna e as condensou no seu filme O Auto da Compadecida . Realizou um inteligente exercício de cinema, que conseguiu ultrapassar os regionalismos e ganhar contornos universais – embora o trato com língua portuguesa ponha barreiras no mercado internacional, a trama e os personagens esboçados a partir de arquétipos podem ser facilmente reconhecidos em qualquer país católico.           A inspiração em Decamerão ficou explícita na fotografia e na direção de arte, onde as tonalidades ocres e arenosas imperam, encontrando os paralelos entre o interior da Paraíba dos anos 30 e a paisagem italiana do Século XIV. Mas é na narrativa ág

No Limite do Amanhã: roteiro preciso, com explicação para tudo

Imagem
No Limite do Amanhã: filme dirigido por Doug Liman UMA LIGHT NOVEL QUE REALIZOU O SONHO DE VIRAR BLOCKBUSTER Quando a indústria do cinema azeita sua máquina e a coloca para trabalhar, consegue resultados impressionantes. No Limite do Amanhã , filme de 2014 dirigido por Doug Liman é um bom exemplo. Aqui temos Tom Cruise em um de seus melhores momentos, ao lado da sempre encantadora Emily Blunt. Trata-se de um filme de ação e ficção científica que pode ter passado despercebido para quem não é fã do gênero, mas contém cinema de qualidade e merece ser conferido.            O filme conta como o Major Caje (Tom Cruise), um covarde enquanto soldado, mas bem-sucedido enquanto oficial de relações públicas do exército, acaba no front durante uma batalha feroz contra alienígenas tentaculares que invadiram a terra. Ele morre, mas por obra de uma dessas intricadas tramas da ficção científica, fica preso num looping temporal, morrendo e reiniciando o dia da sua morte, ad aeternum.         Quem já

O Iluminado: um dos melhores filmes de terror já realizados

Imagem
O Iluminado: filme dirigido por Stanley Kubrick UMA HISTÓRIA ESCRITA POR STEPHEN KING, BURILADA POR STANLEY KUBRICK E REESCRITA NO IMAGINÁRIO DOS CINÉFILOS – Quando você vai escrever sobre O Iluminado ?           Desde que inventei a Crônica de Cinema, já ouvi essa pergunta inúmeras vezes. Mas a quantidade assustadora de informações disponíveis na internet sobre esse filme sempre me inibiu. Que comentários poderia fazer que os cinéfilos já não soubessem de cor e salteado? O Iluminado , realizado em 1980 por Stanley Kubrick é um dos melhores e mais elaborados filmes de terror de todos os tempos. Sobre ele há documentários, entrevistas, cenas de bastidores, fotografias, curiosidades, fofocas... Há inclusive uma complexa teia de especulações sobre a obsessão do diretor com a simetria do seu filme, expressa nos números ocultos em diversas cenas, como se fossem os easter eggs de um videogame.           Para começar a falar sobre o filme  O Iluminado , preciso deixar claro que Stanley Kubric

O Sexto Sentido: atmosfera de suspense sobrenatural

Imagem
O Sexto Sentido: filme dirigido por M. Night Shyamalan NO COMEÇO, VEMOS SÓ O QUE SHYAMALAN QUER MOSTRAR Sucesso! Talvez seja essa a melhor palavra para se referir ao filme O Sexto Sentido , realizado em 1999 pelo diretor M. Night Shyamalan. A comoção causada à época do seu lançamento foi enorme. Lembro que as pessoas saiam do cinema ávidas por comentar sobre o ponto de virada no final da história, mas precisavam se conter. Não podiam estragar a surpresa dos que ainda não a conheciam – naqueles tempos a palavra spoiler não fazia parte do nosso vocabulário. Nos bares e restaurantes as mesas eram divididas entre os que já haviam visto o filme e os que estavam ansiosos para ver.           De fato, a revelação no final do filme nos chegava como o acento agudo que é por fim acrescentado a uma palavra, alterando completamente seu significado. A leitura que fazíamos estava errada o tempo todo e o único que sabia disso era... o roteirista! Estranhamente, as pessoas não se sentiam enganadas. Fas

Looper - Assassinos do Futuro: thriller de ficção científica

Imagem
Looper - Assassinos do Futuro: filme dirigido pot Rian Johnson VIAGEM NO TEMPO NARRADA COM COMPETÊNCIA, NUM ÓTIMO TRABALHO DE ATRORES Viagem no tempo é um tema fascinante no cinema, mas é algo espinhoso. Criar uma trama convincente exige elaboração em alto nível de detalhamento, capaz de fornecer explicações plausíveis a qualquer ação que escape do senso comum. É aí que está o problema: fica difícil evitar as cenas explicativas, o que arrasta a narrativa para o terreno do didático e do enfadonho. Em Looper – Assassinos do Futuro , Rian Johnson conseguiu contornar essa dificuldade. Escreveu e dirigiu um ótimo thriller de ação com fartas doses de ficção científica.           Nessa produção de 2012, Joe é um “looper”, um matador de aluguel pago por gangsters do futuro, que despacham suas vítimas para serem executadas e desovadas no passado. Faz seu trabalho com afinco e sem remorsos, sabendo que qualquer dia desses verá o seu próprio eu do futuro surgindo na sua frente, amarrado e encapuz

Operação Overlord: imaginação passando por cima dos fatos

Imagem
Operação Overlord: direção de Julius Avery ENTRETENIMENTO DESPREOCUPADO COM A PRECISÃO HISTÓRICA Muito bem, estamos falando de um filme sobre zumbis nazistas, repleto de sangue e violência, com cenas escabrosas de horror. Mas essa é apenas uma forma de definir Operação Overlord , filme de 2018 dirigido por Julius Avery. Aqueles que não apreciam o gênero, ou são sensíveis ao tema, vão riscá-lo de imediato da sua lista de filmes para conferir. Mas deixe-me colocar as coisas de outra forma, para animar quem está à procura de bons momentos de entretenimento: o filme nos traz uma ótima história, muito bem contada!           Basta lembrar que Operação Overlord é produzido por J.J. Abrams, um dos grandes nomes do cinema comercial. Depois de surgir com a ideia inicial, ele colocou a escrita do roteiro nas mãos do experiente Billy Ray – que já escreveu O Caso de Richard Jewell , Capitão Phillip e A Guerra de Hart . Para completar, o roteiro ainda foi burilado por Mark L. Smith –

Extraordinário: enfrentando uma síndrome rara

Imagem
Extraordinário: filme dirigido por Stephen Chbosky UM FILME LEVE E DELICADO SOBRE UM DRAMA PESADO E SOFRIDO Ludy e eu já estávamos com sono e prontos para uma noite que prometia ser de absoluto repouso. Mas, como todo cinéfilo que tem nas mãos o controle remoto da situação, decidi zapear, apenas para me certificar de que não havia nada de interessante em exibição. Ledo engano! Num determinado canal, descobri que em questão de minutos começaria Extraordinário , filme dirigido por Stephen Chbosky.   – De novo? Mas a gente já viu esse filme! – reclamou Ludy, avisando que já estava tarde demais para assistir a qualquer coisa. – Ah, hoje é sábado – retruquei. – Vai ser bom ver esse filme de novo, dessa vez com mais distanciamento, pra prestar atenção no cinema. Deixo o volume da TV bem baixinho. Minha mulher não teve alternativa senão concordar. Em poucos minutos estávamos os dois concentrados no filme. Essa produção americana de 2017 conta a história de Auggie, um garoto que veio a e

Invictus: Morgan Freeman vive Nelson Mandela, numa história real

Imagem
Invictus: filme dirigido por Direção: Clint Eastwood UMA HISTÓRIA INCRÍVEL, CONTADA POR UM DIRETOR COMPETENTE E UM ATOR QUE SE CONFUNDE COM O PERSONAGEM Quando Nelson Mandela morreu, em 2013, um comerciante indiano da cidade de Coimbatore fez questão de homenageá-lo. Mandou instalar um painel de publicidade com uma mensagem edificante, ilustrada com uma foto de... Morgan Freeman! A gafe correu o mundo e serviu para demonstrar a competência do ator ao interpretar o ex-presidente da África do Sul no filme Invictus , realizado em 2009 por Clint Eastwood.           Mais uma vez o diretor americano mostrou que tem faro apurado para as boas histórias. Essa lhe chegou às mãos pelo próprio Morgan Freeman. O ator há muito nutria o desejo de interpretar Mandela, de quem se tornou amigo pessoal. Encontrou-se diversas vezes com o líder político e estudou seus gestos e modo de falar. Quando conheceu John Carlin, autor do livro Playing the Enemy: Nelson Mandela and the Game that Made a Nation, Freem

A Queda! As Últimas Horas de Hitler

Imagem
A Queda! As Últimas Horas de Hitler:filme dirigido por Oliver Hirschbielgel UM MONSTRO ABOMINÁVEL, RETRATADO COM INCÔMODA TRANSPARÊNCIA Engana-se quem acredita que o mal se apresenta horrendo, repugnante, com feições monstruosas... Nada disso! Ele se mostra afável, sedutor, carismático e inspirador. É assim que consegue alcançar seus objetivos. O Hitler que vemos em A Queda! As Últimas Horas de Hitler , filme de 2004 dirigido por Oliver Hirschbiegel, é aquele que já deixou cair a máscara, mas vez ou outra se lembra de colocá-la. É aquele que se enfurnou no seu bunker, cercado de capangas, mas rosna feroz à espera do fim. Chafurdando em podridão, ainda se nega a enxergar sua condição humana. Continua posando de divindade!          O filme  A Queda! As Últimas Horas de Hitler é triste e pesado. Os acontecimentos que narra estão numa página que gostamos de arrancar dos livros de história, mas se fizermos isso, corremos o risco de encontrá-los escritos novamente, mais adiante. Talvez por

Gran Torino: um filme sobre a disposição de aprender

Imagem
Gran Torino: filme dirigido por Clint Eastwood PARA QUE SERVE UM FILME SOBRE A INTOLERÂNCIA? PARA MOSTRAR O VALOR DA TOLERÂNCIA, ORA! – Gran Torino é um filme violento? – perguntou Ludy, insinuando que não estava disposta a assistir a tiros e pancadarias.            – Ainda não sei  – respondi. –  É dirigido e estrelado pelo Clint Eastwood e na foto da capa ele parece um Dirty Harry envelhecido. Acho que vai ter tiros e pancadaria!          M inha mulher hesitou, mas acabou convencida quando lembrei que o diretor era o mesmo que realizou o excelente  Os Imperdoáveis . Ela concordou em assistir e não se arrependeu!           A primeira coisa a ser dita sobre o filme Gran Torino é que estava redondamente enganado: Walt Kowalski, personagem que Clint Eastwood interpreta nesse filme de 2008, não tem nada a ver com Dirty Harry. Trata-se de um ex-combatente da Guerra da Coréia que se aposentou como trabalhador da Ford. Acaba de enviuvar e está mais interessado em viver sozinho os anos que

A Vida Dos Outros: o estado espionando seus cidadãos

Imagem
A Vida dos Outros: Florian Henckel von Donnersmarck QUANDO UMA SONATA PARA PIANO TOCA O CORAÇÃO DE UM HOMEM BOM Logo de início somos apresentados a Gerd Wiesler, agente da polícia política da Alemanha Oriental. Bastam poucas cenas para concluir: trata-se de um reles burocrata, que exerce com meticulosa dedicação o infame ofício de bisbilhotar a privacidade alheia para proteger o estado. Um homem menor, esmagado pelo peso da própria mediocridade. Um infeliz, que se submete a vigiar a vida dos outros como quem inspeciona frangos na esteira de um frigorífico.             Ocorre que Wiesler é destacado para vigiar o escritor Georg Dreyman, uma celebridade da cena cultural berlinense, que goza das benesses do partido. Sua missão é descobrir algo que possa comprometer o dramaturgo e sua namorada, a atriz Christa-Maria Sieland. As verdades que ele escuta vão de intrigas amorosas a interesses particulares sendo atendidos pela dispendiosa máquina estatal. Mas o espectador que espera assistir a

O Céu da Meia-noite: filme estrelado por George Clooney

Imagem
O Céu da Meia-noite: filme dirigido por George Clooney UM FILME DOIS EM UM: METADE INTIMISTA, METADE AVENTURA ESPACIAL O cinema é uma viagem! A ação que nos prende à tela também leva a divagações, traçando uma imprevisível trilha de livre associações. Foi o que aconteceu comigo a certa altura de O Céu da Meia-noite , filme de 2020 dirigido e estrelado por George Clooney. Apesar da sua longa barba grisalha imperando em cena, lembrei dele vivendo o psiquiatra Chris Kelvin, que investiga bizarrices numa estação espacial em Solaris , filme de 2002 escrito e dirigido por Steven Soderbergh. É bom lembrar que esse foi um remake do clássico Solaris, de 1972, dirigido por Andrei Tarkovski – um dos melhores filmes de ficção científica já realizados.           O clima de confinamento e a esmagadora solidão que preenche a estação espacial de Solaris são os mesmos que sufocam o Doutor Augustine na estação polar de O Céu da Meia-noite . George Clooney talvez tenha pretendido replicar a atmosfera qu