O Gângster: thriller com atmosfera dos grandes clássicos sobre a máfia

Cena do filme O Gângster
O Gângster: filme dirigido por Ridley Scott

UM FILME DE GÂNGSTERES QUE MERECE ESTAR ENTRE OS CLÁSSICOS DO GÊNERO

O filme O Gângster, dirigido em 2007 por Ridley Scott, tem um atrativo poderoso: é baseado em fatos. Narra a história de Frank Lucas (Deenzel Washington), um bandido do Harlem que, em 1968, herdou os negócios do mafioso Ellsworth Johnson. Ele teve a ideia ousada de eliminar os intermediários no circuito da droga e passou a importar heroína diretamente do Vietnã, usando a logística de militares corruptos. Em questão de meses desbancou a máfia italiana e acumulou uma fortuna descomunal. Porém, como levava uma vida discreta e sem ostentação, as autoridades nem sequer tinham conhecimento da sua existência. Vivia no melhor dos mundos.
        Na outra ponta dessa história real, está Richie Roberts (Russel Crowe), um policial tão honesto que certa vez devolveu aos cofres públicos 1 milhão de dólares em dinheiro de suborno, que havia encontrado numa batida. Só tinha um objetivo na vida: acabar com a corrupção dos policiais cúmplices do tráfico de drogas. Destacado para investigar o crescimento de uma nova grife de heroína, a Blue Magic, que estava fazendo a festa dos viciados da cidade, Richie descobre a existência de Frank Lucas. O bandido é tirado do ostracismo quando o policial tropeça nele durante a luta entre Muhammad Ali e Joe Frazier, em 1971 – a tal Luta do Século, em que Ali perdeu o título mundial dos Pesos-Pesados. A partir daí, o policial Richie Roberts dedicará todos os seu esforços para derrubar o gângster Frank Lucas.
        Esse enredo envolvente foi revelado ao grande público por meio de um artigo publicado em 2000 pela New York Magazine. Assinado pelo jornalista Mark Jacobson, foi intitulado como The Return of Superfly. Steven Zallian comprou os direitos para o cinema e escreveu o roteiro de O Gângster. Ele é mesmo um diretor de talento e um roteirista com excelente faro para boas histórias – é dele os roteiros de A Lista de Schindler, Gangues de Nova Iorque e O Irlandês, além da direção da minissérie The Night Of. Zallian passou uma semana convivendo com o verdadeiro Frank Lucas e depois com o próprio Ritchie Roberts. Desvendou as minúcias de ambos os personagens!
        Mas então, Ridley Scott ingressou no projeto. Nas mãos do diretor, as trajetórias dos dois protagonistas rederam um thriller denso e sombrio, com notas de violência e uma atmosfera que remonta aos grandes clássicos dos filmes sobre a máfia realizados nos anos 1970. O Gângster está ancorado na velha dicotomia entre o bandido malvado e o policial do bem, mas abre espaço para que os dramas pessoais de cada um se revelem e tragam credibilidade para a história. Frank Lucas termina arcando com as consequências de suas escolhas. Quanto a Richie Roberts, os valores aos quais ele se agarra são sólidos e geram forte empatia com o espectador.
        O Gângster está entre os melhores filmes de Ridley Scott. Antes de ser realizado, porém, passou por várias mãos em Hollywood e quase não aconteceu, por brigas e disputas criativas – o filme seria dirigido por Antoine Fuqua, a partir de um roteiro reescrito por Terry George. Ao assumir as rédeas, Ridley Scott ficou com o roteiro original de Zallian, mas o compartilhou com Russel Crowe, com quem já havia trabalhado em outros filmes e firmado uma estreita colaboração. O roteiro então passou por revisões, para dar profundidade ao personagem de Richie Roberts e torná-lo mais atrativo para o ator.
     Além disso, a trama de O Gângster tinha um problema a ser contornado: os astros Denzel Washington e Russel Croew só contracenam no terceiro ato. Ridley Scott entendeu que as cenas por eles protagonizadas nos dois primeiros atos teriam que ser distribuídas de forma equilibrada, para que o espectador pudesse assimilar melhor os arcos de transformação dos personagens.
        Tanto Denzel Washington como Russel Crowe conheceram e tiveram a oportunidade de conviver por um tempo com os personagens que interpretariam. Isso ajudou muito na caracterização. O tom de voz, o sotaque, o gestual, o jeito de andar... Os dois astros aproveitaram para exercitar seus talentos e agora podem ser vistos em seus melhores momentos no cinema.
        O Gângster é um filme envolvente, que vale a pena ser revisitado. Tropecei com ele outro dia no serviço de streaming e me esbaldei. Assim que o filme começou, Ludy saiu da sala. Minha mulher detesta gângsters, tiros, boxe, máfia, drogas, assassinatos, violência... São temas que ela faz questão de não prestigiar. Quanto a mim, não tenho problemas com filmes que abordem a violência. Ela faz parte da natureza humana e com frequência se torna o motor de boas histórias.

Resenha crítica do filme O Gângster

Ano de produção: 2007
Direção: Ridley Scott
Roteiro: Steven Zaillian
Elenco: Denzel Washington, Russell Crowe, Ted Levine, Chiwetel Ejiofor, Ruby Dee, Josh Brolin, Lymari Nadal e Cuba Gooding Jr.

Comentários

  1. Muito boa suas informações.
    Antes mesmo de lê, já havia "revisitado" o filme, pois já se passava muito tempo e não lembrava muito bem do conteúdo, onde me despertou a curiosidade em saber sobre Frank Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Rogerio Campos. Eis aqui um filme que vale a pena rever de tempos em tempos!

      Excluir

Postar um comentário

Confira também:

Menina de Ouro: a história de Maggie Fitzgerald é real?

Encontro Marcado: explicando para a morte qual é o sentido da vida

Siga a Crônica de Cinema