Império Do Sol: Christian Bale era só um garoto

Cena do filme Império Do Sol
O Império do Sol: filme dirigido por Steven Spielberg

UMA HISTÓRIA ÉPICA, CONTADA COM IMAGENS ARREBATADORAS

Jim é um garoto mimado. Não podemos culpá-lo por ter nascido no seio de uma família abastada, que o cerca de conforto e proteção por todos os lados. Nem pela postura altiva e aristocrática que assume com tamanha naturalidade nos ambientes assépticos em que circula. Mesmo assim, em se tratando do protagonista de um filme dirigido por Steven Spielberg, fica difícil nutrir por ele a simpatia que gostaríamos. Em Império do Sol, produção de 1987, a primeira pergunta que emerge é: o que esse fedelho arrogante teria para nos ensinar? Então, o diretor deixa claro o motivo pelo qual estamos com os olhos grudados na tela: para vê-lo aprender! E como ele aprende!
        Com habilidade, Spielberg vai nos levando a estabelecer uma relação de empatia com o garoto Jim, e nos deixa acompanhar o notável arco de transformação que descreverá. De criança privilegiada, membro de um exclusivo clube de ricaços britânicos na Xangai à beira da guerra, ele cairá na vala comum dos mortais, que amadurecem diante da dor e do sofrimento. Engenhoso, corajoso, ousado e sonhador, ele aprende a sobreviver, mas sem desapegar dos valores que traz de berço, nem dos códigos morais que o ajudam a divisar o certo do errado. Sua história é uma metáfora para o processo de amadurecimento pelo qual a própria humanidade precisava passar.
        Império do Sol é um espetáculo visual hipnótico e arrebatador, filmado com realismo e encenado com sensibilidade. Conta com esmero essa história incrível e baseada em fatos – ainda que de forma romanceada. É um dos grandes filmes de Steven Spielberg, que surpreende com minúcias a cada vez que é revisitado. Um drama de guerra denso, que flagra seu protagonista no momento em que perde a identidade – junto com a inocência – e o segue enquanto tenta reencontra-se a partir dos cacos que ele quase já não consegue reconhecer. Vejamos uma rápida sinopse:
        O filme é sobre Jim (Christian Bale), um garoto inglês que, há poucos anos da Segunda Guerra Mundial, vive com a família em Xangai. Seus pais são membros do aparato diplomático britânico e representam o então chamado "império onde o sol jamais de põe". Os japoneses já dominavam praticamente toda a costa leste da China, mas a fleuma dos britânicos os impede de prestar atenção ao perigo iminente. Os invasores chegam retumbantes e os obrigam a uma fuga desesperada. Quando a cidade é tomada pelo caos, Jim se perde na multidão e vai parar num campo de concentração controlado pelos japoneses. Lá, só lhe resta aprender a sobreviver, convivendo com toda sorte de prisioneiros e passando por provações inimagináveis para uma criança. Vive de perto os horrores da guerra na Ásia e testemunha o lampejar da era atômica.
        Império do Sol baseou-se no livro com o mesmo título escrito pelo inglês J.G. Ballard. A história que ele conta é ficcional, embora baseada em experiências que viveu no campo de concentração japonês, onde foi mantido prisioneiro junto com a família. Sua narrativa emocional e carregada de verossimilhanças forneceu farto material para que Spielberg pudesse construir uma competente transposição para o cinema. O roteiro do filme teve seu primeiro rascunho escrito pelo dramaturgo inglês Tom Stoppard. Mais tarde, o diretor envolveu o roteirista Menno Meyjes, que reescreveu algumas cenas, mas não apareceu nos créditos. O roteiro final terminou creditado mesmo a Tom Stoppard.
        Como todo filme relevante para sua época e consistente o bastante para se eternizar no panteão do cinema, Império do Sol acumulou diversas histórias de bastidores. Os críticos se dedicaram a falar das peripécias de Spielberg enquanto lidava com as dificuldades do caro e majestoso aparato criativo que organizou para filmar em Xangai, na Espanha e na Inglaterra. Alguns chegaram a investigar os desdobramentos psicológicos do filme, analisando como a evidente fixação de Spielberg pela figura paterna o levou a mergulhar de corpo e alma no universo interno do personagem. Mas todos se renderam à presença marcante de um Christian Bale ainda criança, que entregou um desempenho impressionante. Essas e outras curiosidades encontradas na internet fazem a alegria dos fãs.
        Voltado para toda a família, Império do Sol tem um certo verniz higienizado, que faz jus à fama de Steven Spielberg quando se dedica a retratar seus heróis infantis. O fato, porém, é que o filme se sustenta por si, ao longo das suas duas horas e meia de duração. Logo no primeiro ato, o momento em que Jim solta a mão da mãe e desaparece no meio da multidão é o mais angustiante. A partir daí nos rendemos ao talento do diretor, um dos melhores contadores de história que Hollywood já gestou.

Resenha crítica do filme Império do Sol

Data de produção: 1987
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: Tom Stoppard e Menno Meyjes
Elenco: Christian Bale, John Malkovich, Miranda Richardson, Nigel Havers, Joe Pantoliano, Leslie Phillips, Masatô Ibu, Emily Richard, Rupert Frazer, Peter Gale e Ben Stiller

Comentários

Confira também:

Menina de Ouro: a história de Maggie Fitzgerald é real?

Encontro Marcado: explicando para a morte qual é o sentido da vida

Siga a Crônica de Cinema